sábado, 21 de maio de 2011

A ÚLTIMA RUA - parte-V

   Era a mesma casa erguida sobre a fortuna do café e  onde os escravos iam voltado para as suas celas após um dia longo e sofrido.  Soraia e seu pai me esperavam, ou esperavam Álvaro aproximar. Acho que vinha da cidade, e logo depois de cumprimenta-los apeie do cavalo.
- Parto essa tarde para a capital do império. A minha família me espera.
- Mas...- Soraia tentou contra argumentar.
- Eu entendo é o seu cargo na corte. -disse o pai de Soraia.
Então eu parti.  E Soraia ficou na varando me olhando como se desejasse me beijar e ir comigo. De alguma forma ela sabia que nunca mais me viria. E na capital do império português o São Sebastião do Rio de Janeiro eu me perdi. Havia ali mulheres vinda de todas as partes do mundo com os piratas e os marcadores. Soraia tinha razão em sua dor, desconfiança.
Eu voltei a mim e olhei para Soraia  presa ao espelho.
-  Eu não pude suportar aquela dor. Você nunca mais voltou, nem escreveu nem deu noticia. O meu pai morreu dois meses depois. Ele queria me casar com outro fazendeiro da região. E agora acho que teria sido melhor.
- Me perdoei!
- É tarde para o perdão. E  tarde para o meu perdão. 
- Mas e essas pessoas mortas...
- Eu todas as noite matei uma por uma em sacrifico para me manter assim como me vê como a última vez que me viu. Para que esse dia chegasse e eu pudesse lhe mostrar a minha dor de ter te perdido.
- Eu fui um tolo.
- Eu em minha dor a pessoa mais cruel. 
- Podemos ...
- A minha alma foi vendida as trevas e paguei com cada escrevo que matei e cada habitante dessa cidade que ia crescendo em população. Pessoas que vinham moram na cidade e fornecer almas para eu trocar com as trevas mais um ano de vida linda e bela para te esperar até esse dia.
- Eu estou aqui. E vou com você até o inferno agora que sei que te amo.
- Me ama.
- Não vê em minha alma o meu amor.
Soraia começou a chorar.
- Agora então me arrependo. Mas pagarei caro por isso. Sofrerei mil vezes a dor da morte de cada um que matei.
- Eu sofrerei com você. Quero morrer mil vezes com você até livrar de toda a sua culpa.