quarta-feira, 2 de novembro de 2011

O vermelho revelador. - parte - III. - Uma história de uma amor entre almas.



Ela se sentou confortavelmente. O seu nome é Sara, e me olhou com firmeza.
- Estranho o senhor não saber dessa história. Aqui na cidade e na região é muito conhecida.
- A senhora sabe . Eu sou novo aqui e...
- O senhor acredita em história de amor? - Ela me interrompeu.
- Não é a minha especialidade.
- E em almas. O senhor acredita? - insistiu Ela.
Com certa ressalva eu sorri .
Ela sorriu.
- Todo mundo tem uma história dessa na vida ou terá?
Ela me olhou firmemente e eu senti novamente a ausência da realidade fluir em mim, apenas a  voz de Sara me conectava a realidade.
- Diadora é seu  nome. Filha  do fazendeiro mais rico aqui da região....
O nome Diadora, me invadiu novamente. Agora sim eu parecia conhecer esse nome, tão forte e nítido invadiu os meus ouvidos, a minha alma dizendo que não era mais Sara que falava.
- Eu sempre tive tudo o que quis , dinheiro, conforto, o carinho da família.  Frequentei as festas  da cidade, os clubes, os shows. Nunca em minha vida lavei um copo, nem lustrei as minhas jóias. Diamantes, ouro, esmeraldas...Ocimar Versolato, Carolina Herrera, Kenzo... Dior...eram-me comum. Férias pelo mundo. Nada mais do que isso. somente isso....Um dia, ao visitar uma das fazendas de meu pai aqui mesmo na região, ele entrou em minha vida. Na verdade ao olhar em seus olhos eu  encontrei a minha alma a razão em estar viva, o desejo, o prazer de se existir, para nunca mais ser outra pessoa.
- O senhor está bem? - me perguntou Sara.
Então acordei, senti a realidade novamente. E vi Sara sorrindo.
- O senhor ouvi o que eu disse?
- Diadora encontrou um amor.
- E foi o amor mais lindo que já ouvi dizer.