segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

O vermelho revelador- Um amor entre almas.- parte VI


Ela me olhou pedindo ajuda. A mulher que lutou por sua vida, por seu amor estava pedida, caída, sem luz.

Eu olhei para ela, sabendo que tudo era real.

- Você quer a minha ajuda!- eu perguntei e juro que não lamentei a sua via.

Ela sorriu.

- Você é forte. Um homem e tanto como o meu Pedro.

- O que posso fazer para te ajudar?

- Tão forte e destemido como...

- Eu não tenho medo do que está acontecendo

- Tão sóbrio e homem como...

-...

- Pedro é o seu pai...

Eu senti o mundo mais vivo forte, como se fosse o que eu esperava.

Ela sorriu.

- Esta surpreso?

- De alguma forma a minha alma esperava por isso...

- Eu sinto muito todo esse drama...

- Ele ainda esta vivo?

- Por isso eu preciso de você, que você encontre o seu pai.

- Por quê?

- Para dizer a ele toda a minha história  para que a magoa e a dor  que ele carregue deixe a sua alma em paz. E somente o filho dele pode dizer isso. O filho que ele sempre quis o filho que ele não viu crescer e se tornar esse homem que é...

Eu encostei-me à cadeira e ela se foi o vermelho no quadro ficou mais intenso e as três amigas apareceram em minha frente.

- Que história! Estamos aqui para ajudá-lo.